Guedes diz que EUA destruíram florestas e mataram a população indígena

 

O ministro Paulo Guedes (Economia) participou por videoconferência nesta 5ª feira (6.ago.2020) do evento norte-americano “Aspen Security Forum 2020”. Ao falar da Amazônia, defendeu a soberania brasileira no território e disse entender a preocupação dos Estados Unidos, considerando que eles teriam destruído suas florestas. Ainda disse que os militares brasileiros não são como os norte-americanos, que mataram a população indígena.

No fim da entrevista, que durou mais de 40 minutos, Guedes foi questionado sobre a Amazônia. Ele disse entender as preocupações dos norte-americanos com a política ambiental do governo de Jair Bolsonaro. “Vocês querem nos poupar de destruir nossas florestas como destruíram as suas”, disse o ministro. “Sabemos que vocês tiveram guerras civis, também tiveram escravidão e só pedimos para vocês que sejam amáveis como somos amáveis. Vocês mataram seus índios, não miscigenaram“, disse Guedes.

Para o ministro, os militares brasileiros não são como George Custer, general norte-americano que ficou conhecido por matar indígenas.

Assista o trecho abaixo, em inglês (vídeo começa na marca de 7h31min27seg, com a referência ao general Custer. Em 7h32min26seg, Guedes fala que os Estados Unidos devastaram as próprias florestas).

Finalizando a resposta, Guedes defendeu a soberania do Brasil na Amazônia: “Nunca confundam o que os militares dizem sobre soberania. A Amazônia é nosso território, essa é a natureza de 1 militar […]. Os militares estão dizendo ‘obrigado pela preocupação’, mas essa é nossa terra”. “Nós vamos taxar o carbono, nós vamos preservar a floresta. Não precisamos desmatar a Amazônia para produzir produtos agrícolas“, completou o ministro.

ECONOMIA

No começo da conversa, o ministro afirmou que está satisfeito com a política econômica adotada pelo Brasil durante a pandemia do novo coronavírus. Afirmou que “preservamos 1/3 dos trabalhos no mercado formal” e que o Brasil será “uma das primeiras economias a se recuperar“.

Segundo Guedes, o mundo tem uma imagem equivocada do Brasil. “[As pessoas dizem] Educação é ruim no Brasil. Informação: nos últimos 13 anos, os sociais-democratas eram responsáveis pela educação. A floresta brasileira está queimando. Informação: pelos últimos 13 anos os sociais-democratas queimaram as florestas. Crimes, os crimes estão diminuindo no Brasil. Estiveram crescendo nos últimos 13 anos. Então, por favor, se livrem dos pré-julgamentos“.

PASSAGEM DE SERGIO MORO PELO GOVERNO

Uma das perguntas feitas ao ministro foi sobre a saída de Sergio Moro da pasta da Justiça. De acordo com Guedes, foi 1 “problema de interpretação“. “Moro foi 1 bom amigo meu quando estava aqui [no governo]. E, então, houve 1 problema de interpretação“. Guedes explicou que existiam 2 lados: “Moro e o pessoal da Lava Jato” que chegaram no governo e “o establishment“, protegendo a si mesmo. Bolsonaro, na visão de Guedes, estava tentando “passar no meio desse desfiladeiro e as pessoas lançavam bombas dos 2 lados“. Argumentou que não era “Bolsonaro contra o Moro“, mas “lutadores de todos os lugares contra o Moro, pois Moro era uma ameaça para muitos deles“.

De acordo com Guedes, Moro não é responsável pela eleição de Bolsonaro, em 2018: “Ele não tem responsabilidade no resultado da eleição. Ninguém sabia que ele estava vindo para o governo. Então não se pode dizer que Bolsonaro foi eleito por causa dele. Bolsonaro foi eleito por ele mesmo”.

 

 

Postar um comentário

0 Comentários

×