Ex-mulher de Bolsonaro pagou imóvel em espécie quando os 2 eram casados

 

Enquanto ainda era casada com Jair Bolsonaro, Rogéria Bolsonaro comprou 1 apartamento no Rio de Janeiro em dinheiro vivo. O valor do imóvel era de R$ 95.000 em 1996, altura da aquisição —equivalente a R$ 621,5 mil, valor atualizado pela inflação.

Na época da compra, Bolsonaro atuava como deputado federal. O casal se separou entre 1997 e 1998. Rogéria é mãe de Carlos, Flávio e Eduardo.

De acordo com a escritura, obtida por O Globo, o pagamento foi “integralmente recebido” no ato da produção do documento de venda. O escrevente do cartório, Irenio da Silveira Duarte Júnior, escreveu que “compareceram como outorgantes vendedores Francisco Antonio da Paixão Brandi, militar reformado, e sua mulher, Alba de Medeiros Brandi, do lar… E, como outorgada compradora, Rogéria Nantes Braga Bolsonaro, brasileira, professora, casada em regime de comunhão parcial de bens com Jair Messias Bolsonaro”. Segundo as anotações do escrevente, o pagamento ocorreu “através de moeda corrente devidamente conferida e, digo, corrente contada e achada certa e examinada pelos outorgantes (vendedores)”.

Procurada pela reportagem de O Globo, Alba negou a negociação: “Nunca morei lá, nem coisa nenhuma. Não sei. Ele [o marido] já morreu há muito tempo”. Rogéria não respondeu. O Palácio do Planalto também não se manifestou.

Rogéria foi eleita vereadora na Câmara Municipal do Rio de Janeiro em 1992. Atuou por 2 mandatos, de 1993 a 2001, quando perdeu a cadeira para o filho, Carlos Bolsonaro. Trabalha atualmente como assessora parlamentar na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro). Em março, ela se filiou ao Republicanos, mesmo partido de Carlos e Flávio. Antes, era membro do PSL. Em julho, anunciou ser pré-candidata a vereadora pelo Rio de Janeiro. No vídeo de anúncio, usou o slogan de Bolsonaro: “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”.

SEGUNDA MULHER TAMBÉM COMPROU IMÓVEL EM ESPÉCIE

Depois de se separar de Rogéria, Bolsonaro casou com Ana Cristina Siqueira Valle. A revista Época revelou que ela comprou 14 imóveis até a data da separação (2008). Segundo a reportagem, 5 dos 14 imóveis foram comprados em “moeda corrente”, ou seja, dinheiro vivo. Somados, valiam R$ 243,3 mil na época e R$ 680 mil hoje, com a inflação corrigida.

Antes do casamento, Ana Cristina não tinha nenhum imóvel registrado em seu nome. Bolsonaro tinha 2 apartamentos no Rio de Janeiro e 1 terreno em Angra dos Reis. Em nota, seu advogado, Magnum Cardoso, disse que os fatos narrados na reportagem não condizem com a realidade e que sua cliente não cometeu qualquer crime.

DEPÓSITOS NA CONTA DE MICHELLE BOLSONARO

Reportagem da Revista Crusoé mostrou que Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), depositou R$ 72.000 na conta da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, ao longo de 4 anos. Apuração do Jornal Nacional indica que Michelle Bolsonaro também recebeu dinheiro de Márcia Aguiar, mulher de Queiroz. Foram 5 cheques de R$ 3.000 e 1 cheque de R$ 2.000, totalizando R$ 17.000.

Somando os valores de Márcia e Queiroz, Michele Bolsonaro recebeu R$ 89.000.

As finanças da primeira-dama já estavam sob a investigação da Receita Federal por causa de 1 cheque assinado por Queiroz no valor de R$ 24.000. O presidente Jair Bolsonaro comentou a existência dos cheques. De acordo com o presidente, Queiroz tinha “dívidas” com ele e pagou R$ 40.000.

 

Postar um comentário

0 Comentários

×