Breaking News

Polícia faz busca na casa de parentes de Queiroz em Belo Horizonte


O MP-MG (Ministério Público de Minas Gerais) e o Batalhão de Choque da PM (Polícia Militar) cumpre na manhã desta 3ª feira (23.jun.2020) 4 mandados de busca e apreensão na casa de parentes de Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flavio Bolsonaro (Republicanos-RJ). A operação é em parceria com o MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro).
A 1ª busca foi realizada em uma casa no bairro São Bernardo, na Região Norte de Belo Horizonte (MG). O objetivo das é prender Márcia Oliveira de Aguiar, mulher de Queiroz, que está foragida. As informações foram divulgadas pelo G1.

Queiroz foi preso na manhã da última 5ª feira (18.jun.2020) em Atibaia, no interior de São Paulo. No mesmo dia, foi decretada a prisão da mulher dele, Márcia Oliveira de Aguiar, que não se apresentou à polícia e não foi encontrada. O nome dela chegou a ser incluído na lista de procurados da Interpol (Organização Internacional de Polícia Criminal).
Segundo o site, a casa alvo da operação em Belo Horizonte pertence à madrinha de Queiroz, dona Penha, que morreu neste mês. Agora vivem no local primas e sobrinha do ex-assessor de Flavio Bolsonaro.
A suspeita é que a mulher de Queiroz tenha ido para essa casa. Uma das primas, Kassia, é bem próxima de Márcia e de Queiroz. Kassia consta, inclusive, num dos primeiros relatórios do MP-RJ com 1 repasse de R$ 2.700, mas sem suspeita de irregularidade. No início da manhã, promotores conversavam com parentes de Queiroz na casa.
Márcia Oliveira de Aguiar e Fabrício Queiroz são investigados por participação em suposto esquema de “rachadinha” no gabinete do então deputado estadual Flavio Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro). A prática se configura quando o político cede cargos em seu gabinete em troca de parte dos salários dos funcionários.
A investigação teve início após relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) identificar movimentação atípica de R$ 1,2 milhão de 2016 a 2017 nas contas de Queiroz. Pagamentos recebidos pelo ex-assessor de Flavio Bolsonaro eram em datas próximas da folha de pagamento dos funcionários do gabinete, o que leva à suspeita de devolução de parte do salário.
De acordo com o Ministério Público, de 2007 a 2018, Queiroz recebeu 483 depósitos ou transferências de 11 ex-assessores. No total, foram sacados R$ 2,9 milhões no período.

A família Bolsonaro e pessoas próximas ao clã também estão envolvidas. Flavio é suspeito de ser 1 dos beneficiários dos recursos da “rachadinha”. Sua mulher, Fernanda Antunes, teria recebido, em espécie, R$ 25.000 de Queiroz em 2011.
A mulher do presidente, Michelle Bolsonaro, recebeu cheque de R$ 24.000 de Fabrício Queiroz. Bolsonaro afirmou que se tratava do pagamento de parte de 1 empréstimo.



Postar um comentário

0 Comentários

×