Pesquisadores buscam desenvolver máscara capaz de matar o coronavírus


Um grupo de pesquisadores da Universidade de Kentucky, nos Estados Unidos, está buscando o desenvolvimento de uma máscara capaz de matar o coronavírus.
Apesar de o equipamento ainda não ter eficácia confirmada, um investimento de cerca de US$ 150 mil está sendo aplicado no projeto.
A ideia é que a máscara tenha uma membrana de enzimas capazes de capturar o novo coronavírus.
Dessa forma, as enzimas se ligariam à proteína spike (s-protein, em inglês), parte que o vírus utiliza para invadir células humanas, e a separaria, matando o temido invasor.
Dibakar Bhattacharyya, diretor do Centro de Ciências da Membrana da universidade norte-americana, explicou que o produto teria “aplicações futuras”:
“Essa inovação desaceleraria ainda mais e até impediria a propagação do vírus. Também teria aplicações futuras para proteger contra vários vírus patogênicos humanos.”
Bhattacharyya disse ainda que a membrana do acessório seria muito fina e os usuários poderiam respirar “muito facilmente” ao usá-la.
As máscaras também poderiam mudar de cor quando o vírus for detectado, ou ainda, acenderem quando o detectarem.

Postar um comentário

0 Comentários

×