Ministros do STF alertam para ‘escalada autoritária’ no Brasil


Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) teceram críticas, neste domingo (19), a um grupo de manifestantes que pediram intervenção militar durante ato em Brasília.
O presidente Jair Bolsonaro marcou presença na manifestação, como noticiou ao ZN.
Em frente ao Quartel General do Exército Brasileiro, Bolsonaro disse que não vai “negociar nada”, pois a “velha política” acabou.
Em entrevista ao jornal Estadão, o ministro Marco Aurélio Mello classificou os manifestantes como “saudosistas inoportunos” e afirmou que uma escalada autoritária está em curso no Brasil:
“Tempos estranhos! Não há espaço para retrocesso. Os ares são democráticos e assim continuarão. Visão totalitária merece a excomunhão maior. Saudosistas inoportunos. As instituições estão funcionando.”
Em mensagem no Twitter, o ministro Luís Roberto Barroso disse que é “assustador” ver manifestações pela volta do regime militar, após 30 anos de democracia:
“Só pode desejar intervenção militar quem perdeu a fé no futuro e sonha com um passado que nunca houve. Ditaduras vêm com violência contra os adversários, censura e intolerância. Pessoas de bem e que amam o Brasil não desejam isso”
Através da mesma rede social, o magistrado Gilmar Mendes declarou que invocar o AI-5 é “rasgar o compromisso com a Constituição”:
“A crise do coronavírus só vai ser superada com responsabilidade política, união de todos e solidariedade. Invocar o AI-5 e a volta da Ditadura é rasgar o compromisso com a Constituição e com a ordem democrática.”

Postar um comentário

0 Comentários

×