Breaking News

Guedes quer que senadores derrubem pacote da Câmara e ‘salvem a República’


O ministro da Economia, Paulo Guedes, teve reunião com representantes do grupo Muda Senado e demonstrou grande preocupação com o pacote de socorro aos Estados que está sendo gestado na Câmara. A equipe do ministro estima em R$ 180 bilhões o impacto da proposta.
“Ele disse que se passasse aquele projeto na Câmara, nos moldes que a Câmara está pensando, ele iria pedir 1 apoio ao Senado para que o Senado salvasse a República”, disse o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). Ele participou da reunião, realizada por videoconferência na 5ª feira (9.abr.2020).
O projeto que incomoda Guedes é 1 substitutivo apresentado pelo deputado Pedro Paulo (DEM-RJ) ao Plano Mansueto –série de medidas para conceder socorro às contas dos Estados.
A proposta original se mostrou de votação inviável na Câmara durante a crise do coronavírus, por isso Pedro Paulo elaborou 1 relatório para auxiliar Estados e municípios no curto prazo, para combater os efeitos da doença.
Além da queda de arrecadação puxada pela desaceleração da economia causada pelas medidas restritivas de combate ao coronavírus, os entes terão despesas extras para lidar com a doença.
As contas do Ministério da Economia irritaram deputados. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), fez críticas a Paulo Guedes e diz que o valor é irreal. Segundo Maia, o impacto fiscal seria, na verdade, algo próximo de R$ 50 bilhões.
A reunião com os senadores foi uma iniciativa do ministro. Além de Randolfe, participaram Alessandro Vieira (Cidadania-SE), Álvaro Dias (Podemos-PR), Oriovisto Guimarães (Podemos-PR), Eduardo Girão (Podemos-CE), Capitão Styvenson (Podemos-RN) e Lasier Martins (Podemos-RS).
No total, o Muda Senado tem 22 congressistas. Eles não votam necessariamente em bloco. Há senadores de oposição, como Alessandro Vieira e o próprio Randolfe, e outros que têm afinidade com a política econômica do governo, como Girão e Oriovisto.
O ministro Paulo Guedes disse aos senadores que em duas semanas de crise o governo federal já concedeu R$ 88 bilhões em ajudas diversas aos Estados. Ele fez 1 questionamento aos congressistas. “‘Onde vai ser gasto [tudo o que for repassado pela União]?’ Eu acho que essa pergunta bateu forte no nosso grupo”, disse Randolfe Rodrigues .
O projeto que Guedes tenta combater é de lei complementar. Para prosperar, precisa ser aprovado em votação nominal por maioria absoluta dos deputados (257) e dos Senadores (41). Depois, vai a sanção presidencial.
Mesmo na Câmara. a proposta patrocinada por Rodrigo Maia está tendo dificuldades. Deveria ter sido votada na última semana, mas não foi possível. Quando entrou em pauta, líderes de bancada questionaram o texto. Houve ação do governo para demover deputados do apoio ao projeto.

Postar um comentário

0 Comentários

×