Lula e Luciano Huck criticam Bolsonaro após ataque a repórter

Crédito: Reprodução Instagram 

O ex-presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva (PT) criticou a fala do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao utilizar de um jogo de palavras com duplo sentido para insultar a repórter da Folha de S. Paulo Patrícia Campos Mello com uma insinuação sexual. Além de Lula, o apresentador Luciano Huck usou seu Twitter para criticar o discurso do presidente.
“Esse comportamento do Bolsonaro já virou cotidiano dele, ofender e achincalhar as pessoas. Lamentavelmente me parece que a educação e o respeito não chegaram à cabeça do presidente. Já deu a hora dele aprender bons modos. Educação faz bem para todo mundo”, escreveu Lula em seu Twitter.
Na sua publicação, Huck disse que não gosta de alimentar fofocas e intrigas, “mas as fronteiras da decência foram ultrapassadas hoje”.
“Tenho evitado comentar declarações públicas de quem quer que seja. Seja porque torço pelo Brasil, seja porque não quero alimentar fofocas e intrigas. Mas as fronteiras da decência foram ultrapassadas hoje. Triste e revoltante ao mesmo tempo”, iniciou o apresentador.
“Respeito é a base de qualquer sociedade e pilar da democracia. Atiçar a violência contra a mulher e atacar o jornalismo independente são desserviços monstruosos. Meu apoio à mulher e jornalista @camposmello”, finalizou Huck.
Nesta terça-feira (18), pela manhã, o presidente afirmou durante coletivo que a jornalista “queria um furo”, em alusão a reportagem publica por Patrícia sobre uma agência de disparos de mensagens em massa por Watsapp.
Na manhã de hoje, Bolsonaro afirmou que a jornalista “queria um furo”, em referência a uma reportagem na qual Campos Mello entrevistou um ex-funcionário de uma agência de disparos em massa por Whatsapp.
“Ela queria dar o furo a qualquer preço contra mim”, disse Bolsonaro, logo após a declaração, o presidente deu risadas ao lado de simpatizantes no Palácio da Alvorada.


×