Bolsonaro critica Cid Gomes e ironiza habilitação para dirigir retroescavadeira

 

O presidente Jair Bolsonaro fez crítica oblíqua ao senador licenciado Cid Gomes (PDT-CE), que foi baleado após avançar com uma retroescavadeira contra policiais militares que bloqueavam o Batalhão da PM em Sobral (CE) durante greve. O político levou 2 tirou, mas se recupera bem.
A crítica foi feita em live no Facebook realizada nesta 5ª feira (20.fev.2020) ao lado do agora ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni e da intérprete de libras Elisângela Castelo Branco.

Em determinado momento, 1º o presidente criticou reportagem que informou que “1 vereador bolsonarista” liderou o motim dos policiais militares no Ceará. “Olha só, o motim lá se deve a 1 vereador bolsonarista. Eu queria só que vocês me apresentassem ele, pelo menos isso, me apresente o vereador aí”.
E continuou, questionando Onyx Lorenzoni: “Aquele cara lá, não fala o nome dele não, que subiu em 1 trator e foi tentando empurrar o portão lá com crianças, com mulheres. Ele agiu corretamente? Sim ou não? Não fala o nome dele não”.

O ministro então respondeu: “Evidente que não, né presidente. Aí é uma irresponsabilidade, 1 desequilíbrio, 1 ato que colocou em risco a vida de muitas e muitas pessoas. E é evidente que quando tu tem tua vida em risco, tu tem o direito à legítima defesa”.

A live também teve participação do secretário de Aquicultura e Pesca do Ministério da Agricultura, Jorge Seif, e do deputado federal Helio Lopes (PSL-RJ).

Ao convidar Helio Lopes para aparecer na transmissão, o presidente questionou onde o deputado iria passar o Carnaval e disse que ambos irão para Guarujá (SP). Segundo Bolsonaro, em suas folgas, por segurança, precisa ficar em lugares reservados, mas tentará dar uma “fugidinha”. Lembrou quando saiu para andar de moto no Guarujá.

“Mas se tiver uma oportunidade, a gente vai dar uma fugidinha. Na penúltima vez, eu dei uma fugida de moto lá pela cidade. A imprensa foi logo atrás para saber se eu tinha habilitação ou não”, disse. “Olha, eu não tenho habilitação para dirigir retroescavadeira, isso eu posso garantir para vocês, mas motocicleta, eu tenho”, ironizou.

EXCLUDENTE DE ILICITUDE PARA MILITARES

Na live, Bolsonaro também disse que irá pedir aos presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Davi Alcolumbre (DEM-AP), respectivamente, a aprovação de projeto de lei sobre excludente de ilicitude para militares em operações de GLO (Garantia da Lei e da Ordem). Segundo Bolsonaro, ele irá  conversar com os congressistas depois do Carnaval.
O projeto, que concede proteção a quem matar em serviço, foi apresentado ao Congresso em 21 de novembro de 2019. A decisão do presidente em reforçar a necessidade de tramitação da proposta vem após ele ter autorizado o envio de tropas das Forças Armadas ao Ceará, por meio de decreto de GLO, para reforçar a segurança no Estado.

“Tenho conversado com a Câmara e com o Senado, e acabando o Carnaval, porque a GLO é até o dia 28 apenas, bem curtinho, vou procurar o Davi Alcolumbre e o Rodrigo Maia. Vou fazer 1 pedido para eles, que eu tenho 1 projeto lá dentro dizendo que em GLO os militares têm que ter excludente de ilicitude, ou seja, acabou a missão, ele vai pra casa. Não ficará preocupado de receber a visita de 1 oficial de Justiça e depois responder a uma auditoria militar e pegar até 30 anos de cadeia, o que é uma irresponsabilidade”, disse.
No momento, quem estava ao lado do presidente era o agora ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, além da intérprete de libras Elisângela Castelo Branco.

“BEIJO HÉTERO”

O presidente também fez vários elogios ao trabalho do secretário de Aquicultura e Pesca do Ministério da Agricultura, Jorge Seif.  Segundo o presidente, tem “muita gente brigando” para o ocupar o cargo de Seif. “No fim das contas, eu peguei 1 cara que não brigou”, afirmou.
Bolsonaro disse ainda que se soubesse da competência do secretário não teria acabado com o Ministério da Pesca e Aquicultura.
Em determinado momento da live, o presidente questionou Seif sobre a produtividade da secretaria em 2019 em relação a 2018. Ele respondeu: “O que o senhor acha que na gestão de Bolsonaro ia acontecer?”.
“Tá bom de ter estabilidade na Secretaria, quiçá 1 ministério. Você tem futuro, ein, moleque”, respondeu Bolsonaro.
Em seguida, Jorge Seif disse que ia dar “1 beijo hétero” no presidente, que hesitou. “Não, não, não”, disse Bolsonaro enquanto o secretário o beijava no rosto. “Fiquei arrepiado aqui”, continuou.
“Não fica arrepiado não, ein”, disse o secretário.



×