Bolsonaro autoriza envio das Forças Armadas para reforçar segurança no Ceará

 

O presidente Jair Bolsonaro autorizou o envio de tropas das Forças Armadas ao Ceará, por meio de decreto de GLO (Garantia da Lei e da Ordem), para reforçar a segurança no Estado. A medida, já em vigor, vale até 28 de fevereiro.
O decreto foi publicado em edição extra do DOU (Diário Oficial da União) nesta 5ª feira (20.fev.2020). Além de Bolsonaro, assinaram o documento os ministros Fernando Azevedo e Silva (Defesa) e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional).

No Ceará, policiais militares estão promovendo motins para reivindicar aumento salarial. A categoria se diz insatisfeita com a proposta do governo local.
Nessa 5ª (20.fev), a Secretaria de Segurança do Ceará, informou que cerca de 300 inquéritos foram instaurados, além de processos disciplinares, na CGD (Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário) contra policiais.
Antes de o decreto da GLO, o governador do Ceará, Camilo Santana (PT), afirmou no Facebook que o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, procurou-o para informar que Bolsonaro tomaria a medida. “Todo o esforço será feito para garantir a proteção dos nossos irmãos e irmãs cearenses. Agradeço ao presidente Jair Bolsonaro pelo apoio do governo federal neste momento”, disse o governador.


Nesta 4ª feira (19.fev.2020), o ministro Sergio Moro autorizou o envio das tropas da Força Nacional de Segurança para o Estado.

CID GOMES BALEADO

Contrário ao movimento dos policiais, o senador Cid Gomes (PDT-CE), atualmente licenciado de suas funções, tentou entrar em 1 batalhão da polícia, que estava com os portões fechados, dirigindo uma retroescavadeira. Do outro lado do portão havia dezenas de policiais encapuzados. Desse grupo teriam partido 2 tiros que acertaram o senador.

Internado no Hospital do Coração, no Ceará, Cid Gomes deixou a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e foi transferido para enfermaria na manhã desta 5ª feira (20.fev.2020).
×