Banco Central permite a injeção de R$ 135 bilhões na economia

 

O Banco Central anunciou duas medidas que têm potencial de injetar R$ 135 bilhões na economia a partir de março. A quantia será disponibilizada para os bancos e a intenção é que de que ofertem crédito com juros mais baixos.
A autoridade mudou regras no depósito compulsórios, que são recolhimentos feitos pelos bancos ao BC, como 1 instrumento para influenciar a quantidade de moeda no mercado. A alíquota do recolhimento compulsório será reduzida de 31% para 25%.

Em termos de estoque, a diminuição representa uma liberação de R$ 49 bilhões. “A medida faz parte da Agenda BC#, no pilar competitividade, no âmbito da ação redução estrutural dos recolhimentos compulsórios”, comunicou em nota. A medida vale a partir de 16 de março. Eis a íntegra.
Na prática, a redução do depósito influencia o volume de crédito disponível e também pode, em tese, interferir positivamente nos juros cobrados pelas instituições.
Além disso, o BC aumento a parcela dos recolhimentos com compulsórios considerados no LCR (indicador de liquidez de curto prazo), que determina que as instituições devem manter uma reserva mínima de ativos líquidos para absorverem choques em cenários de “estresse de liquidez”.
A medida permite uma redução estimada em outros R$ 86 bilhões na necessidade de bancos carregarem outros ativos líquidos de alta qualidade necessários para o cumprimento da LCR. Eis a íntegra.
Com as duas medidas o percentual de cada nova captação de depósito que a instituição financeira deve direcionar para o BC deve se reduzir em média em 8,5 pontos percentuais.

×