Câmara gastou R$ 6,9 mi com viagens oficiais em 2019, maior valor em 5 anos

 
 
Na contramão do discurso de austeridade que emergiu nas últimas eleições, a Câmara atingiu em 2019 o maior valor desembolsado com viagens em missões oficiais desde 2015. Foram R$ 6,9 milhões em despesas dessa natureza no ano passado.
O Poder360 obteve o número por meio da Lei de Acesso à Informação. A conta inclui passagens, diárias e valores adicionais arcados pela Casa. Gastos com viagens entre Brasília e as bases eleitorais dos deputados são lançadas em outra conta, na da cota parlamentar, conhecida como cotão.

Tudo subiu 📈

Separadamente, os gastos com passagens, diárias e adicionais também atingiram os maiores níveis no período. Ou seja: a alta dos gastos gerais não foi puxada somente pelo aumento nos preços dos bilhetes aéreos.

Quem mais gastou

Ao todo, foram 569 viagens de deputados em missões oficiais no ano passado. Foram gastos R$ 3,07 milhões com diárias, R$ 3,44 milhões com passagens aéreas e R$ 360 mil com adicionais.
Cinco deputados registraram gastos acima de R$ 100.000 em 2019, como mostra a tabela a seguir. O campeão foi o deputado Newton Cardoso Jr. (MDB-MG): R$ 179.165,77 em 14 missões oficiais.

Siglas que mais gastaram

Agrupando os gastos pelo partido dos deputados, quem fica no topo do ranking é o PP, que tem a 3ª maior bancada da Casa. Per capita, o maior gasto foi da Rede. A sigla tem apenas uma deputada, Joenia Wapichana (RR), que gastou R$ 55.445,22.

Por Estado

O maior gasto por unidade da Federação foi dos deputados de São Paulo, que têm a bancada mais numerosa. Os 70 deputados eleitos pelo Estado gastaram R$ 966.695,55 ao longo do ano passado. A média de despesas por deputado é maior no caso do Distrito Federal, com R$ 28.617,47.

Viagens internacionais crescem

Os deputados realizaram 569 viagens em missões oficiais em 2019, mesmo número de 2015. No ano passado, houve a maior quantidade de viagens internacionais.

Como funciona

Os deputados têm direito a esses recursos para participar de congressos, reuniões e conferências no Brasil e fora. Entre os organismos internacionais dos quais a Câmara faz parte estão o Parlasul (Parlamento do Mercosul), o Parlatino (Parlamento Latino-Americano) e o Fórum Parlamentar Ibero-Americano. Os pedidos de viagens ao exterior são analisados previamente pelo presidente da Casa.
O valor da diária varia de R$ 524 a R$ 2.308, dependendo do motivo da viagem. As passagens aéreas são compradas pela própria Câmara. Segundo a Casa, os voos são escolhidos de acordo com o menor preço em cotação junto a agência de viagens contratada.
Ao final da missão, os deputados devem apresentar relatórios com a justificativa e o que fizeram na viagem.





×