Breaking News

Taxa de desemprego cai para 11,2% e atinge 11,9 milhões de brasileiros

 

A taxa de desemprego ficou em 11,2% no trimestre encerrado em novembro de 2019, queda em relação ao percentual apurado no trimestre anterior, de 11,8%.
O indicador também registrou queda em relação ao mesmo período de 2018, quando era de 11,6%. Os dados foram divulgados nesta 6ª feira (27.dez.2019) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

De acordo com a pesquisa, há 11,9 milhões de brasileiros desempregados no país. Houve redução de 702 mil pessoas em relação ao trimestre encerrado em agosto. A população subutilizada registrou recuo de 4,2%. Segundo o IBGE, atingiu 26,6 milhões, após queda de 1,1 milhão de pessoas.
É considerado subutilizado quem está desempregado, trabalha menos do que poderia, não procurou emprego mesmo estando disponível para trabalhar ou que procurou emprego, mas não estava disponível para o cargo.
Dentro deste número, há 4,7 milhões de brasileiros desalentados, ficando estatisticamente estável em relação ao trimestre anterior. A taxa de subutilização caiu 1 ponto percentual, e registrou 23,3% no período.

SETORES

De acordo com o órgão, os números do trimestre foram impactados pelo aumento de contratações no setor de comércio. A ocupação na área cresceu 1,9% em razão dos feriados de fim de ano. No período, o aumento correspondeu a 338 mil postos de trabalhos ocupados.
Em seguida, os setores que mais impactaram o aumento de ocupação foram alojamento e alimentação,  com 204 mil vagas preenchidas (+3,8%), e o de construção, com 180 mil vagas (+2,7%).
A população ocupada no país cresceu 0,8%, com mais 785 mil pessoas inseridos no mercado de trabalho na comparação com o trimestre anterior.

INFORMALIDADE

O número de trabalhadores por conta própria atingiu novo recorde e chegou a 24,6 milhões, aumento de 1,2% na comparação ao trimestre anterior, e 3,6% em relação ao mesmo período de 2018.
O número de empregados com carteira de trabalho assinada aumentou no setor privado. Avançou 1,1% no trimestre encerrado em novembro na comparação com anterior. Mais 378 mil pessoas foram absorvidas no mercado formal.
Já a categoria de trabalhadores sem carteira de trabalho assinada na iniciativa privada ficou estável na passagem de 1 trimestre para o outro. No total, são 11,8 milhões de empregados nesse recorte.