Bolsonaro elogia Weintraub e diz que não pretende ‘trocar 1 ministro que seja’

 

Bolsonaro falou que considera “excelente” o trabalho do ministro Abraham Weintraub à frente do MEC (Ministério da Educação). Segundo reportagens recentes publicadas pelos jornais Folha de S.Paulo e O Estado de São Paulo, mostraram a possibilidade de Weintraub ser substituído no cargo.
O presidente ponderou que o trabalho à frente do Ministério da Educação é “bastante complicado” por ser uma pasta que, de acordo com Bolsonaro, está “tomada pela esquerda há décadas”, o que estaria “conduzindo a educação do Brasil para o mau caminho”.
“Olha a prova do Pisa. A prova [foi] feita em abril do ano passado. Uma das piores notas do mundo todo. Se não me engano, em alguns quesitos foi a pior da América do Sul”, comentou.

Bolsonaro ‘oferece’ cargo de Guedes

Questionado por 1 repórter se há possibilidade de 1 minirreforma ministerial no início de 2020, Bolsonaro respondeu: “Você quer que eu troque de ministro? Você quer ser candidato, se apresenta aí.”
O jornalista brincou com o presidente dizendo que, então, trabalharia para ele.
“Pronto, está fechado. Qual ministério você quer?”, perguntou o presidente. “Pode ser Relações Exteriores”, escolheu o repórter. “Pega logo o da Economia, pô”, respondeu Bolsonaro, rindo.

Agenda do presidente

As declarações de Bolsonaro foram feitas justamente à frente do prédio do Ministério da Economia, em Brasília. Inicialmente sem compromissos oficiais divulgados na agenda, Bolsonaro saiu do Palácio da Alvorada –residência oficial da Presidência– no começo da tarde com destino a uma casa no Park Way, no Núcleo Bandeirante, em Brasília.
Questionado pelos jornalistas sobre o motivo da ida, os assuntos abordados e as autoridades presentes, o presidente afirmou que a razão foi “relações públicas“. Acrescentou que o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Dias Toffoli, e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), estavam no local.
“Tinha 1 montão de autoridades. [Foi uma] conversa geral, piada, brincadeira, nada mais além disso”, falou.
Bolsonaro seguiu da confraternização para o HFA (Hospital das Forças Armadas), onde visitou 1 funcionário do governo que foi atropelado na noite desta 6ª feira (13.dez).
“Duas costelas quebradas. Deu sorte, né? Estava de bicicleta, pegou 1 ressalto no meio-fio (…) o busão pegou ele no meio. Pelo tamanho da pancada, ele está bem”, afirmou.
No caminho de volta para o Palácio da Alvorada, Bolsonaro parou na Esplanada dos Ministérios e conversou com policiais militares –os sargentos Hilário, Wancley, Leandro Silva e François–, que faziam a guarda no local.
A mãe do PM François ligou para o filho nessa hora. O PM passou o celular para Bolsonaro, que conversou com ela: “Conheci teu filho aqui, evangélico, está trabalhando…”, disse o presidente.
×