Header Ads

Desafio 27 Dias Para Secar

Breaking News

Aliados e filhos de Bolsonaro reagem a discurso do ex-presidente Lula

 

O discurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na tarde deste sábado (9.nov.2019) no sindicato dos metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP), causou reações de ministros e aliados do presidente Jair Bolsonaro.
O líder petista acusou Bolsonaro de não governar para a população brasileira, mas sim para “os milicianos do Rio de Janeiro“.  Também chamou o ex-juiz e hoje ministro Sergio Moro (Justiça) de “canalha” e atacou a política econômica do ministro Paulo Guedes (Economia).

Neste sábado, Bolsonaro se manifestou pela 1ª vez depois que Lula foi solto, afirmando que não vai “contemporizar” presidiário e que o ex-presidente continua com “os crimes nas cotas”. Em sua conta no Twitter, ele amplificou as críticas.
Em seguida, os filhos de Bolsonaro também o ajudaram a rebater as declarações do líder petista, solto na 6ª feira (8.nov) depois de uma decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que torna ilegal o cumprimento da pena antes de esgotados todos os recursos.
Líder do PSL na Câmara, o deputado Eduardo Bolsonaro (SP), passou a tarde deste sábado empenhado em responder às declarações de Lula em uma série de postagens no Twitter. Ele afirmou que a soltura do ex-presidente é 1 caso de impunidade e defendeu a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 410 de 18, que permite a prisão em 2ª instância.
Sempre ativo nas redes, o vereador fluminense Carlos Bolsonaro (RJ) chamou Lula e o ex-ministro José Dirceu, também beneficiado pela decisão do Supremo, como “bandidos” e “traidores“.



O senador Flávio Bolsonaro (RJ) retuitou 1 vídeo do pai no qual o presidente afirma “não dê munição ao canalha, que momentaneamente está livre, mas carregado de culpa”. O ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública), que foi chamado de “canalha” durante o discurso do petista também se manifestou. No Twitter, afirmou que não responde a “criminosos, presos ou soltos” e que “algumas pessoas só merecem ser ignoradas“. No início da noite, as hashtags “O Lula ainda é condenado, babaca” e “não respondo a criminosos” estavam lideravam as menções do Twitter, com 77,1 mil mensagens e 49,1 mil mensagens, respectivamente.