Header Ads

Desafio 27 Dias Para Secar

Breaking News

Após Moro falar em destruir mensagens, PSOL quer acionar MP para impedir

Ivan Valente, deputado federal por São Paulo e líder do PSOL na Câmara dos Deputados - Luis Macedo/Câmara dos Deputados 

O deputado federal Ivan Valente, líder do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) na Câmara, afirmou hoje por meio de nota que a sigla entrará com representação no Ministério Público para que as mensagens, que por ventura sejam apreendidas com os suspeitos de terem cometidos crimes cibernéticos contra autoridades, não sejam destruídas.
"Somente juiz pode decidir pela destruição dessas mensagens. O que Moro anunciou que vai fazer é ilegal, é uma atitude criminosa. Isto configura uma confissão de culpa", disse o deputado por meio de nota.

A informação vem após o ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) declarar que as mensagens deveriam ser descartadas "para não devassar a intimidade de ninguém". A posição de Moro consta em uma nota oficial do presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio Noronha, que também teria sido alvo dos supostos 'hackers'.
Sobre a suposta invasão ao seu celular, Noronha afirmou ainda que "está tranquilo" pois "não tem nada a esconder".
Na noite de hoje, a Polícia Federal contrariou Moro e afirmou que as mensagens não serão destruídas no momento. A nota diverge de posição do ministro e condiciona o descarte do material a uma decisão judicial.
"Caberá à justiça, em momento oportuno, definir o destino do material, sendo a destruição uma das opções", escreveu a PF em nota. O órgão afirmou ainda que não vai investigar o teor das mensagens, já que a Operação Spoofing não tinha esse objetivo.