Breaking News

Por que Fênix Negra é o “Vingadores: Ultimato dos X-Men”

https://observatoriodocinema.bol.uol.com.br/wp-content/uploads/2019/06/x-men-fenix-negra-1-218x150.jpg 

2019 marca o fim de uma década, e diversas obras da cultura pop curiosamente estão fechando ciclos neste mesmo ano. Vingadores: Ultimato encerrou uma saga importante do Universo Cinematográfico da Marvel, a temporada final de Game of Thrones foi exibida na HBO com muita polêmica, The Big Bang Theory deu sua risada derradeira com a última temporada e a saga principal dos episódios de Star Wars será encerrada com o aguardado A Ascensão Skywalker.

Porém, ninguém parece muito interessado ou afetivo com outra saga importante que também vai acabar: os X-Men, que, nesta quinta-feira (6), darão seu adeus na FOX com X-Men: Fênix Negra, um filme que também justifica parte do esquecimento por sua divulgação problemática, que também não ficou mais atraente ao ser capturado no fogo cruzado da aquisição do estúdio pela Disney.
Fênix Negra é praticamente um filme morto-vivo, pois sabemos que todos os personagens mutantes serão “rebootados” quando Kevin Feige resolver apresentar o grupo no Universo Cinematográfico da Marvel. Não existe chance de termos o mesmo elenco dessa nova fase no futuro, o que é uma pena.
A saga dos X-Men é uma das mais importantes para a popularização dos super-heróis nos cinemas. O primeiro filme de 2000 mostrou que era possível trazer um novo tipo de adaptação, colocando os coloridos personagens em um contexto mais realista e sombrio, e impressionando por retratar temas sociais com maturidade e boas metáforas. Mesmo que tenha uma linha do tempo confusa em sua passagem pelos cinemas, a importância dos X-Men não deve ser subestimada, e é louvável que a saga nunca tenha enfrentado um reboot ou remake em todos esses 19 anos; claro a nova trilogia rejuvenesceu todos os personagens, mas eles compartilham o mesmo universo e até já se encontraram em X-Men: Dias de um Futuro Esquecido.

Uma franquia esgotada

Como X-Men: Fênix Negra é o capítulo final dessa saga importantíssima, era de se esperar que o filme de Simon Kinberg trouxesse algo como Vingadores: Ultimato. Claro, o nível de organização e planejamento da Marvel Studios é algo que a Fox nunca teve com os mutantes, mas a saga de quase 20 anos merecia algo à altura. Esse grande evento talvez tenha sido melhor representado por Dias de um Futuro Esquecido, visto que trouxe o maior número de mutantes e estrelas no mesmo filme da franquia, enquanto Fênix Negra se concentra apenas no elenco jovem – e é difícil desviar o olhar para o fato de que Michael Fassbender e Jennifer Lawrence estão nitidamente desinteressados em continuar vivendo esses personagens.
Além disso, X-Men: Fênix Negra foi adiado duas vezes para datas distantes, prejudicando o interesse do público, que não deve responder à altura. Previsões de bilheteira apontam para a estreia mais fraca da franquia, o que seria a pior forma de encerrar a franquia, que também aposta mais uma vez em uma adaptação do arco da Fênix Negra – previamente adaptado, com resultados mistos, em X-Men: O Confronto Final, lançado em 2006. É uma ideia interessante, até pelo senso de finalidade e conclusão, e se Kinberg tivesse culhões, ele terminaria este filme com a Fênix de Jean Grey provocando algo irreversível e que só seria capaz de acontecer em uma franquia que está literalmente marcada para acabar.
O que Vingadores: Ultimato faz, X-Men fez parecido alguns anos antes, quando junto os elencos das duas gerações em X-Men: Dias de um Futuro Esquecido. Foi o longa mais rentável da série, e também com alguns dos melhores elogios. Era esse tipo de filme que X-Men: Fênix Negra deveria ser, só que ainda mais grandioso. Aliás, a Fox novamente comete o erro de trazer a saga de Chris Claremont cedo demais ao jogo: só estamos com a nova geração de Sophie Turner, Tye Sheridan e Alexandra Shipp há um filme, quando foram apresentados em Apocalipse. Ainda que o filme de Simon Kinberg prometa ser mais fiel ao material original, também por lhe dar todo o foco necessário, dificilmente traz o mesmo impacto que sua construção merece.
Infelizmente, a Fox não aproveitou a oportunidade de criar um momentum com X-Men: Fênix Negra. A franquia não estava em sua forma mais atraente para os fãs, com exceção de longas mais isolados como Logan e Deadpool, e todos os adiamentos e marketing desanimado ajudaram a tornar este novo filme apenas um obstáculo a ser passado – antes dos mutantes finalmente se juntarem ao MCU da Disney. É uma pena, especialmente quando consideramos a importância de X-Men para o gênero.
X-Men: Fênix Negra merecia muito mais do que apenas ser um “filme de passagem”.