Breaking News

Prefeito do Rio empurra repórter da TV Globo: "Não quero falar com vocês"

Reprodução/Globo 



O prefeito do Rio, Marcelo Crivella (PRB), criou um mal-estar durante uma coletiva hoje à tarde sobre as consequências do temporal, que atingiu a cidade na segunda-feira (8). Ele não gostou ao ser questionado quais seriam as providências tomadas pelo governo nas últimas horas da repórter da TV Globo, Larissa Schmidt. Ela ainda o informou que a cidade continuava "parada" com vários pontos de interdições por conta dos alagamentos. Crivella retrucou a profissional e a empurrou se negando a dar entrevista.
 
"É impressionante como a Rede Globo faz campanha contra mim. A cidade não está parada não, a cidade está se movimentando. É impressionante como vocês fazem oposição a mim e ao Rio de Janeiro e é por isso que o presidente Bolsonaro já não dá mais entrevistas para vocês. Ele e vários políticos pensam assim", explanou Crivella que não deixou a repórter fazer outra pergunta. "Dá licença! Deixa eu virar para cá e eu não quero falar com vocês. É um direito que eu tenho", continuou e afastou a repórter com as mãos.

Crivella continuou dando entrevista de costas para a equipe da Globo e finalizou ainda criticando a emissora com relação ao faturamento no Carnaval "A Globo quer é dinheiro nas suas propagandas. O que ela quer é que a gente faça uma festa no Carnaval e ela possa vender R$ 240 milhões com a prefeitura pagando tudo. Isso está errado e não tem nada a ver com o interesse da cidade e seguramente não vão colocar isso no ar."

Logo após o episódio, a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) divulgou uma nota criticando a postura do prefeito do Rio como "um ato não condizente com os princípios constitucionais da transparência na administração pública e da garantia do acesso a informações públicas" e finalizou: "A Abraji considera a atitude do prefeito diante dos questionamentos de Larissa Schmidt incompatível com seu cargo. Agentes públicos têm o dever de fornecer informações sobre suas atividades e de respeitar o trabalho dos jornalistas de levar tais informações ao público. Discriminar meios de comunicação é antidemocrático e fere a liberdade de imprensa."

A TV Globo repudiou a atitude do prefeito de afastar a repórter Larissa Schmidt dos jornalistas que cumpriam a obrigação de entrevistá-lo e, em especial, a afirmação de que a emissora fez drama com "coisas corriqueiras" na cobertura jornalística do temporal de segunda-feira e mandou uma nota. "A Globo cobriu uma tragédia que tirou a vida de dez cariocas. E cumpriu a obrigação jornalística de mostrar que a Prefeitura demorou a acudir a população. Um fato reconhecido pelo próprio prefeito, num momento raro de autocrítica. A Globo lamenta também as declarações descabidas de Marcelo Crivella quanto ao carnaval. A Globo compra os direitos de transmissão das escolas de samba - e paga um valor quase seis vezes maior do que aquele que elas recebem de subvenção da Prefeitura."

O UOL procurou a assessoria da Prefeitura que enviou uma resposta no início da noite: "A Assessoria de Comunicação da Prefeitura do Rio de Janeiro esclarece: 1- Não há contato físico do prefeito com a repórter, a exemplo do que houve na coletiva do presidente americano, quando o repórter é acusado de tocar na assessora da Casa Branca; 2- Da mesma forma, o prefeito encosta na repórter, num movimento involuntário e dá a entrevista como encerrada."