Breaking News

Menino francês de 11 anos se suicida após ser castigado por usar celular na escola

Reprodução/Google Maps 

Um menino de 11 anos se suicidou na cidade de Beausoleil, perto de Mônaco, no sul da França, depois de receber um castigo em seu colégio por ter usado o telefone celular na sala.

O procurador de Nice, Jean-Michel Prêtre, confirmou hoje a existência de uma investigação, conforme foi divulgado pela rádio France Bleu Azur. "O menino, como de costume, estava indo para o ponto de ônibus com dois amigos para voltar para casa quando anunciou aos companheiros que queria se matar", informou o procurador. "Tudo isso parece estar relacionado com o pânico que ele sentiu após as advertências de um professor por ter usado o celular na sala de aula, e o professor o puniu por isso", acrescentou Prêtre.

Os dois colegas do estudante, que pegaram o ônibus, viram que seu amigo continuava andando e avisaram seus próprios pais, que ligaram para os pais do menino. Os pais do estudante chegaram ao local e encontraram o corpo do filho sem vida debaixo de uma ponte. Ele estudava no colégio público de Bellevue, perto de Mônaco. A polícia abriu uma investigação.

Castigos como exercícios fora do horário das aulas são frequentes

O menino teria recebido como castigo passar mais duas horas fazendo exercícios na escola, um tipo de punição relativamente frequente nas escolas francesas. Alguns professores preferem enviar a criança para fazer uma pesquisa na biblioteca ou simplesmente deixá-la de castigo na sala dos educadores.

O prefeito da cidade, Gérard Spinelli, disse que uma equipe de psicólogos  da representação local do Ministério da Educação Nacional esteve na escola na sexta-feira (16) para prestar assistência aos demais alunos do estabelecimento. Beausoleuil é um vilarejo de 4.884 habitantes, a 25 quilômetros da fronteira da Itália.

Segundo o procurador, as crianças começam a falar do caso e algumas teriam sido "mais ou menos testemunhas" do drama.

Nova regulamentação

No dia 3 de agosto passado, entrou em vigor o novo artigo do código de educação que proíbe o uso de celulares em salas de aula do ensino fundamental, uma interdição que afeta diretamente 10 mihões de estudantes. A proibição era uma promessa de campanha do presidente Emmanuel Macron.

Cada escola tem a libertade de regulamentar a aplicação das novas normas e possíveis punições. Se algumas escolas, mesmo antes das novas regras, já impediam o uso dos equipamentos, outras se negam a dar adeus aos celulares, que são tolerados nos momentos de recreação.