Breaking News

Alzheimer: novo exame de imagem diagnostica doença com precisão

iStock 


Estima-se que a cada três segundos um novo diagnóstico de Alzheimer é feito no mundo. Mas um novo estudo publicado no periódico JAMA pode levar esperança a pacientes que sofrem com o problema. A novidade é um exame de imagem que p... - Veja mais em https://noticias.bol.uol.com.br/ultimas-noticias/entretenimento/2018/09/24/alzheimer-novo-exame-de-imagem-permite-diagnostico-da-doenca.htm?cmpid=copiaecola
 Estima-se que a cada três segundos um novo diagnóstico de Alzheimer é feito no mundo. Mas um novo estudo publicado no periódico JAMA pode levar esperança a pacientes que sofrem com o problema. A novidade é um exame de imagem que permite identificar a doença.

Chamado de PET-tau, o teste utiliza a tecnologia do PET (tomografia por emissão de pósitrons), que faz um "escaneamento" por via intravenosa no paciente. Com o procedimento, os pesquisadores conseguiram identificar corretamente 95% dos casos da doença entre os voluntários.

A pesquisa revelou ainda que o método teve eficiência diagnóstica claramente superior em relação à ressonância magnética, e menos resultados falso-positivos do que o beta-amiloide PET, dois métodos que são usados atualmente.

Existem duas proteínas conhecidas por estarem ligadas ao Alzheimer: a beta-amiloide --que forma "placas" no cérebro -- e a tau --que "cria emaranhados" que prejudicam os neurônios. A primeira se espalha por todo o cérebro em um estágio inicial, décadas antes do paciente perceber sinais da doença.

Já a segunda começa a se espalhar dos lobos temporais para outras partes do cérebro em um estágio posterior. Nesse momento é que os neurônios começam a morrer e o paciente experimenta os primeiros problemas com a doença. Os cientistas acreditam que, examinando um paciente com dificuldades de memória que apresente grande número da proteína tau no cérebro, é possível fazer o diagnóstico de Alzheimer com um alto grau de certeza.

A opção do estudo não está disponível no Brasil ainda, mas o exame é uma opção que vem sendo reconhecida por diversos estudos. Apontado como método promissor para detectar alterações funcionais no cérebro. Além de identificar precocemente, o exame ajuda ainda a diferenciar o Alzhemeir de outras formas de demência.