Breaking News

Amazon se expande no Brasil e passa a vender roupas e artigos esportivos

 


A Amazon continua se expandindo seu e-commerce aos poucos pelo Brasil. A empresa, que começou vendendo livros por aqui, passou a vender eletrônicos por meio do marketplace e agora terá roupas e artigos esportivos em sua plataforma, que poderá alavancar ainda mais a atividade brasileira de comércio eletrônico da maior empresa do setor no planeta.
A Amazon Moda, como a empresa chama a nova divisão de roupas e acessórios, vai além das vestimentas. A área contará com produtos como malas, mochilas, óculos joias, relógios e calçados. Entre as marcas confirmadas até o momento Havaianas, Cia. Marítima e Farm, Luiza Barcelos, Shoulder, Loungerie, Levi’s, New Balance, T-Shirt Factory, basico.com, King55, MUMO, Flavia Aranha. Também estarão disponíveis o trabalho de designers como Gloria Coelho, Reinaldo Lourenço, Jack Vartanian e Antonio Bernardo.
Já a loja de Esportes da Amazon terá artigos esportivos de várias modalidades, incluindo futebol, tênis, boxe, natação e até mesmo acampamento. Entre as marcas que terão seus produtos comercializados na plataforma por meio de parceiros estão Asics, Caloi, Deuter, Everlast, Mizuno, Olympikus, Penalty, Rainha, Speedo, Umbro e Under Armour.
Por se tratar de um marketplace, no entanto, não é a Amazon que vai vender os produtos. A empresa apenas faz mediação do negócio e oferece algumas garantias ao comprador, como a possibilidade de solicitar um reembolso caso a mercadoria não tenha chegado com o padrão esperado pelo consumidor.
Esse é mais um passo da expansão da marca Amazon para o consumidor final brasileiro. A empresa já é bastante reconhecida por aqui pela popular plataforma AWS para computação em nuvem, mas seus clientes costumam ser empresas. Nos últimos tempos, a empresa ampliou o comércio eletrônico e existe a expectativa de que a empresa use um galpão de 50 mil metros quadrados no interior de São Paulo para começar a vender seus próprios eletrônicos. Além disso, também há a expectativa do lançamento do Amazon Music no Brasil, para concorrer com serviços como Spotify, Apple Music e Deezer.